Objetivos de desempenho:

  • Os participantes estarão aptos a definir cultura e subcultura e seu impacto na interação humana durante os contatos entre a segurança pública e os cidadãos.
  • Após assistir a uma série de vinhetas curtas, os participantes estarão aptos a listar as crenças, padrões de pensamento e comportamentos que contribuem para as percepções dos policiais e cidadãos antes, durante e após o contato entre um policial e um cidadão.
  • Os participantes descreverão o efeito percebido de forma negativa nos conflitos entre a segurança pública e os cidadãos em relação ao policial e ao cidadão.

I. Efeitos culturais no policiamento

A. A cultura abrange as crenças, valores e padrões de pensamento, comportamento e hábitos do dia a dia transmitidos de geração em geração. Ela ajuda na definição do comportamento normal, ou no que é certo e errado na mente de uma pessoa e no seu ponto de vista das consequências pela violação das leis.

B. Subcultura de segurança pública.

  • Todos os policiais, apesar de bastante influenciados pelas crenças, valores, hábitos e comportamentos de sua cultura maior, também compartilham muitos valores, crenças e hábitos distintos da cultura de segurança pública.
  • Entre os inúmeros objetivos de segurança pública, o controle do crime e a manutenção de uma qualidade aceitável de vida dentro de uma determinada comunidade são primordiais. A aplicação das leis da sociedade atinge esses objetivos.
  • A autorização da segurança pública para efetuar prisões e usar a força e outras técnicas de controle para gerir o comportamento da sociedade é o fator mais importante que separa os policiais do restante da sociedade.

C. As culturas podem afetar o modo como a polícia lida com os cidadãos e vice-versa. Esses efeitos são geralmente influenciados por crenças, atitudes e comportamentos que podem impactar negativamente no processo de criação de um entendimento entre os dois grupos. Essas barreiras culturais são:

  • Preconceito: um julgamento ou opinião formada antes de fatos serem conhecidos, geralmente envolvendo pensamentos negativos ou desfavoráveis sobre grupos de pessoas.
  • Discriminação: ações baseadas em pensamentos preconceituosos e comportamento injustificável em relação a um grupo racial ou étnico e seus membros. É expressa em distinções e decisões tomadas com base em preconceito.
  • Racismo: uma crença de que diferenças inerentes entre as raças determinem conquistas individuais ou em grupo, geralmente envolvendo a ideia de que sua própria raça seja superior.

II. O efeito emocional em pessoas que são abordadas pela polícia

  • Para muitos policiais, é difícil entender o impacto emocional nas pessoas que são abordadas. Para ajudar, apresentamos cidadãos descrevendo tais circunstâncias em suas próprias palavras.
  • Esses efeitos podem ser aumentados para pessoas de cor, para pessoas de culturas onde a polícia é extremamente temida e para pessoas que não entendem o que está acontecendo.
  • Forneceremos trechos do workshop da polícia/comunidade para chamar a atenção para o fato de que a abordagem de pessoas de cor causa um grande impacto na percepção da polícia e, portanto, em sua capacidade de obter cooperação e informações da comunidade. Geralmente, no workshop da polícia/comunidade, os cidadãos falam sobre como desejam ser tratados pela polícia, sobre como são tratados e sobre o impacto emocional correspondente sobre eles. Para alguns policiais, essa é uma perspectiva das emoções de cidadãos que geralmente não entendem. Para outros, não é convincente porque eles sabem que as pessoas que eles abordam estão violando as leis de trânsito e merecem ser abordadas. Contudo, o treinamento enfatiza que os policiais têm a possibilidade de escolha ao decidirem quem abordar no contexto de trânsito e que devem ficar alerta aos motivos pelos quais selecionaram um determinado motorista para ser abordado. Os policiais devem estar cientes de que o poder do inconsciente ou do preconceito implícito baseado em raça pode afetar suas decisões.

III. As percepções da polícia durante a abordagem (do workshop polícia/comunidade)

Geralmente, a polícia fala sobre como gostaria de ser tratada durante uma abordagem, como é tratada e o porquê do seu comportamento durante a abordagem. Curiosamente, em geral achamos que a polícia e os cidadãos desejam as mesmas coisas; isto é, respeito, não serem estereotipados e compreensão de sua situação. Essas semelhanças ajudam na construção de um entendimento entre os dois grupos.