Sumário da lei de conflicto de interesse para com os funcionários do Estado   

 



Este resumo do conflito de leis de interesse, do capítulo das Leis Gerais 268A, tem a intenção de ajudar os funcionários estatais a entender como esta lei se aplica a eles. Este sumário não é um substituto pelo conselho legal, nem menciona cada aspeto da lei que aplica a uma situação particular. Os funcionários do Estado podem obter orientação grátis e confidencial sobre o conflito de lei de interesse, na Divisão Legal da Comissão no nosso website, também conseguir o número de telefone, o nosso indereço a cima mencionado. O conselho estatal também pode prestar conselhos.

 

O conflito de  interesse da lei procura prevenir conflitos entre os interesses privados e obrigações públicas, criar integridade nos serviços públicos, promover confiana e credibilidade nesse serviço implantando restirições nos atos dos funcionáos no local de emprego, horas extras e depois de sairem do serviço público conforme descrito aqui. As seções referidas aqui se aplicam às seções  G.L e 268A.

 

Quando a comissão determina que o conflito de interesse da lei foi violado, ele impõe penalidades até  $10,000 ($25,000  para suborno) por cada violação. Para além do mais, a comissão pode ordenar que o violador reembolse qualquer vantagem econômica que ele ganhou pela a violação e reinstituir danos causados a terceiros. As violações do conflito da lei de interesse também podem ser prosseguidas criminalmente.


I. Você é um funcionáo estatal para efeitos da lei de conflito de interesse?


Você não tem de ser um funcionário em tempo integral, ou um funcionário estatal com vencimento, para poder  ser considerado um empregado municipal de conflito de objetivos de interesse.  Qualquer pessoa que presta serviços a cidade ou vila, ou tem uma posição municipal, quer seja pago ou não, incluindo empregados municipais  a tempo integral ou parcial , oficials eleitos, voluntários e consultores, é um empregado municipal embaixo do confilict da lei de interesse.  Um empregado de uma firma privada também poderá ser um empregado municipal, se a firma privada tem contrato com a cidade ou vila e o empregado é o “funionario chave” sob o contrato, o que significa que a cidade contratou especificamente ele/ela para prestar esses serviços.  A lei também cobre partidos privados que se ocupam no procedimento não permissível com empregados municpais, como por exemplo ofertas, subornos ou presentes ilegais.

 

II. Solicitar emprego do Estado (Consulte a seção 6B)

 

As agências estaduais que revêem aplicação de emprego são obrigadas a solicitar  informação de membros de família dos requerentes que já são empregados.  Os requerentes de emprego estatal devem revelar a seguinte informação por escrito:  os nomes de qualquer empregado estatal que está relacionado ao requerente como cônjuge, pai, criança, irmão, ou o cônjuge do pai do requerente, criança ou irmão.

 

III. Restrições no Trabalho.

(a)  Suborno. Pedir ou aceitar subornos é proibido. (Vega a seção 2)

 

Um suborno é algo de valor corruptamente recebido por um empregado de país em troca do empregado que é influído nas suas ações oficiais. Receber e oferecer presentes, ou pedindo um suborno é ilegal.

 

Os subornos são mais sérios do que presentes ilegais porque eles implicam a intenção corrupta. Em outras palavras, o empregado de país pretende vender o seu escritório por agreeing para fazer ou não fazer algum ato oficial, e o doador pretende influir nele para fazer assim.  Os subornos de qualquer valor são ilegais.

 

(b)  Ofertass e gratificações.  Pedir ou aceitar uma oferta por causa da sua posição oficial ou por causa de algo que pode fazer ou que já fez é proibido. (Vega a seção 3, 23(b) (2), e 26

 

Os empregados estatais não podem aceitar prendas ou gorjetas no valor de $50 ou mais aproveitando-se  da influência que ele tem nessa posição oficial. Aceitar uma oferta com a intenção de gratificar uma ação oficial do passado ou no futuro é ilegal, assim como dar tais presentes.  Aceitar uma prenda por causa da sua posição estatal  também é considerado ilegal.  Refeições, passa tempos, bilhetes para ir a ver  jogos desportivos, golfo, e aceitar pagamentos para viajar também são consideradas ofertas ilegais se for feito através duma ação oficial no valor de $50 ou mais estara violando a lei menciona nestas seções.


Um examplo de violação
:  Um inspetor de estrada permite que um contratante de pavimento o compre almoço cada dia durante um caminho de dois mês que repavimenta projeto.


Um examplo de violação
:  Uma associação de indústria fornece o passeio social de um dia gratuito, inclusive um almoço de grelha, o golfe, um coquetel a um grupo de legisladores.
 

Isenções regula mentares.  Existem situações genuinas em que um funcionário estatal pode aceitar uma presente que não apresenta nenhum risco ou conflito de interesse, o que pode promover de fato o interesse público.  A comissão criou isenções  permitindo ofertas nestas situações.  Uma das formas cumuns usadas de isenção permite os empregados estatais aceitar o pagamento duma  viagem ou outras despesas relacionadas,  fazendo assim haverá avanços nos objetivos públicos.  Outra isenção comum usada, permite a empregados municipais aceitar o pagamento de preços implicados em assistência em programas educativos e de treinamento. Outras isencções estão apresentadas na lista da comissão na página da web.


Um exemplo onde não há nenhuma violação:  Uma organização sem lucro que trata de prevenção de violência doméstica oferece pagar as despesas de viagem de um representante de distrito de assistente a uma conferência do prosseguimento de casos de violência domésticos. O representante preenche um formulário de revelação e obtém a aprovação prévia da suas nomeações.

 

Um exemplo onde não há nenhuma violação:  Uma associação de engenheiros profissionais "oferece um seminário de educação continuada de valor substancial e renuncia as taxas de inscrição e materiais para os funcionários do Estado que são engenheiros. Os engenheiros do estado deve fazer uma divulgação apenas se as entidades patrocinadoras têm negócios oficiais diante deles durante os seis meses antes e depois do seminário.

 

(c)  Abuso de posição.  É proibido proveitar da sua posição oficial para obter algo a que não tem direito, ou tentar conseguir algo para outra pessoa que também não tem direito a isso. Encorajar e causar que os outros fassam o mesmo, é proibido  (Veja Seção 23(b)(2) e  26)

 

Um funcionário estatal não pode usar a sua posição para adquir algo no valor de $50 ou mais que não seria propriamente disponível a outros indivíduos situados em situacoes similhantes.  Da mesma forma, um funcionário estatal  não pode usar a sua posição oficial para conseguir algo no valor de $50 ou mais para alguem que não está apropriadamente disponivel a outros indivíduos em situações similhantes.  Causar mais alguém fazer essas coisas também é proibido.

 

Um examplo de violação:  Um funcionário estatal de tempo integral escreve uma novela durante a hora de trabalho, usando o computador do escritório, servindo-se da secretária para ler e fazer correções do rascumho.

 

Um examplo de violação:  O comissário de uma agência estatal os subordinados a transportar sua esposa  para o supermercado, ida e volta.

 

Um examplo de violação:  Um general de representante de assistente evita uma entrada que se apressa perguntando o escritório de polícia que o pára, "você sabe quem sou?”, e mostrando sua indentificação oficial.


(d)  Auto-negócio e nepotismo. Sendo funcionário e participar em assuntos estaduais que implicam a sua família mais direta, organizaçõs do seu negócio ou futuro emprego, apresenta um interesse financeiro que e proibido(Veja Seção 6)

 

Um  funcionário estatal não deve participar em qualquer assunto particular o qual um membro da família chegada (pais, filhos, irmãos, esposa/o, e familia do esposo/a) tenha interesse.  Também ele ou ela não deverá participar em qualquer assunto particular que tenha interesse financeiro, quando ele/ela seja um possivel funcionário, ou diretor de uma organização, agente policial, ou empresário.  A participação também inclui comentar, tratar votar, ou delegar algum assunto que envolve outra pessoa.

 

Um interesse financeiro pode causar conflito quer seja pouco ou não, positivo ou negativo.  Em outras palavras, nao interessa se haja pouco ou muito dinheiro iimplicado. Também não interessa se está colocando dinheiro no bolso ou tirando- do . Se a sua familia imediata, o seu negócio, ou o seu empregado tem algum interesse financeiro num assunto, você não deverá participar.  O interesse financeiro deverá ser direto e imediato ou rasoável e previsível em criar conflito.  Um interesse financeiro que seja remoto, especulativo, que não seja facilmente identificado não cria conflitos.

 

Nem a legislação geral nem em casa governa que a legislação é "determinadas matérias" para objetivos do conflito da lei de interesse. Um empregado estatal pode participar na legislação geral e em casa governar a legislação mesmo se ela tiver um interesse de finacial em tal legislação. Uns legisladores estatais e os oficiais constitucionais devem arquivar uma revelação se a matéria afetará substancialmente os seus interesses financeirosqualquer empregado estatal deve arquivar uma revelação se uma pessoa razoável pensaria que podem influienciar impropriamente o empregado.

 

Um examplo de violação:  O oficial administrativo principal de uma agência estatal, que tem um equilíbrio de 900 horas na licença doente acumulada, propõe um plano pelo qual a agência pagará empregados da licença doente acumulada.

 

Um examplo de  violaçãoUm empregado do conselho culutural de Massachusetts é tambem o diretor de uma corporação sem lucro dedicada ao aumento de arte em espaços públicos. A corporação sem lucro aplica-se ao conselho de uma subvenção e o empregado participa na avaliação dos pedidos  recebidos para a subvenção.

 

Um examplo de violação:  Um empregado estatal promove seu filho a uma posição na sua supervisão.

 

Um exemplo onde não há nenhuma violação:  A legislação proposta na consideração pelo senado estatal alterará as leis gerais com respeito à cobertura de seguro da propriedade dianteira oceânica. Um senador estatal possui a propriedade dianteira oceânica de Cape Cod. O senador pode discutir e votar na legislação porque ele é a legislação geral, mas deve arquivar uma revelação porque a legislação poderá afetar o seu interesse financeiro.

 

Um empregado estatal cujos deveres não necessitam que ele participe em uma determinada matéria pode cumprir com a lei por simplesmente não participando na determinada matéria na qual ele tem um interesse financeiro. Não será necessário dizer a razão porque não participou.

 

Um empregado estatal marcado também pode cumprir com a lei arquivando uma revelação escrita sobre o interesse financeiro com a sua autoridade que marca, e buscando permissão de participar apesar do conflito. Se os deveres de um empregado estatal necessitariam que ele participasse em uma matéria na qual ele tem um interesse financeiro, isto é o procedimento que ele deve usar. A autoridade de marcação pode conceder a permissão escrita de participar se ela determinar que o interesse em questão financeiro não é tão substancial que ele provavelmente afetará a integridade dos serviços do empregado ao estado. De outra maneira, a autoridade de marcação destinará a matéria a alguém mais, ou o fará ela mesma. Participação sem revelar o interesse financeiro é uma violação. Os empregados eleitos não podem usar o procedimento de revelação porque eles não têm nenhuma autoridade de marcação


Um exemplo onde não há nenhuma violação
:  Um membro designado da comissão do conselho das zonas da cidade, que  inspeciona e recomenda mudanças de regulamento das leis relacionadas com o districto commercial, é um parceiro de uma companhia que é dona de propriedades desse distrito. Antes desse membro  participar  nos debates da comissão, ele submete a ficha das declarações ao departamento de apelações do conselho da zona que o elegiram a essa posição,  e a junta autoriza por escrido sua participação, mesmo que tenha interesse financeiro. Isso não é uma violação.


(e) Reclamações  falsas.  Apresentar uma reclamação  falsa ao seu funcionário para receber pagamento ou algum benefício é proibido. (Consulte as seções 23(b)(4) and 26)          

                                                                                                                                                                                                                                                        

Um  funcionário estatal não pode apresentar uma reclamação fraudulenta ao seu empregado em troca de receber pagamento ou benefícios no valor de  $50 ou mais ou enfluenciar outra pessoa a fazer o mesmo.

 

Um examplo de violação:  Um diretor público ordena a sua secretária a preencher uma ficha que indica que esteve presente no atrabalho nos dias que esteve fazendo esqui de neve.

 

(f)  Aparência de conflito.  Atuar de forma a fazer alguém que é racional pensar que você pode impropriamente influenciar, éproibido.  (Veja as seções 23(b)(3))

 

Um funcionário estatal não deve agir de forma que causa uma pessoa racional  a pensar que ele mostara favoritismo a alguém ou de que poderá ser impropriamente influenciada.  A seçãao 23(b)(3) requer que o funcionário estatal considere se, sua relação ou afiliação, poderá prevenir de ele  agir justamente e censuravelmente quando ele cumpre os seus deveres com a cidade ou vila.  Se ele não poder ser justos e censuráveis por causa do relacionamento ou afiliação ela não deverá desempregar seus deveres.  Todavia, um funcionário estatal, mesmo que seja eleito ou designado , poderá prevenir esta previsão declarando os fatos públicamente.  Um funcionário designado terá que apresentar essa declaração por escrito ao seu designado oficial.

 

Um exemplo onde não há nenhuma violação:  Um funcionário duma  agência estatal é empregado que vai casar  com o proprietário de um negócio. O proprietário de negócios submete uma resposta a um pedido em propostas da agência. Uma pessoa racional pode concluir que o empregado poderia favorecer a resposta do noivo. O empregado arquiva uma  declaração por escrito com as autoridades  explicando a relação com o noivo antes da reunião em qual a solicitação do RFP será considerada.  Não existe violação Sec. 23(b)(3).


Um exemplo onde não há nenhuma violação:  Uma casa estatal de Representantes está considerando a legislação que criará uma lei geral que estabelece um limite máximo em prêmios de seguro pagos por obstetras. Um representante estatal é maried a uma obstetra que será afetada pela legislação proposta. O Representante pode partricipar na matéria mas arquiva uma revelação do interesse de sua esposa para eliminar qualquer aparencia de um conflito. Não há nenhuma violação.


(g)  Informação confidential.  Revelar  impropriamente ou usar pessoalmente uma informção confidencial obtida através do seu emprego, é proibido. (Veja as seções  23(c))

 

Os funcionários estatais não deverão declarar impropriamente informação confidencial, ou pessoalmente usar informações de organizações sem fundo lucrativo obtidas no precurso das suas obrigações oficiais com o propósito de expandir seus interesses pessoais.

 

IV. Restrições fora do horário de trabalho.

 

(a)  Aceitar um segundo trabalho com vencimento pago, que intrefere com as suas obrigações causando conflitos com a sua posição estatal, é proibido.  (Consulte as seções 23(b)(1))

 

Um funcionário estatal não deverá aceitar trabalho com vencimento pago, se as responsabilidades do segundo trabalho não são compatíveis com o seu trabalho estatal.

Exemplo:  Um  poíicia não pode trabalhar como um guarda de segurança privada na cidade que presta seu serviço porcausa das exigências do seu trabalho privado que podem causar conflito com as suas obrigações policiais.

 

Exemplo:  Um Senador estatal pode não tomar uma segunda posição que aconselha clientes em como receber a consideração favorável no Senado de Massachusetts.

 

(b)  Lealdade dividida.  Receber pagamento de alguém, sem ser do estado para trabalhar num assunto involvendo o estado,  é proibido.  Agir como agente ou adevogado para qualquer pessoa que não seja para o estado, trabalhando num caso involvendo o estado, também é proibido quer seja pago ou não.  (Veja Sec.4)

 

Visto que as cidades e vilas tem o direito receber uma lealdade indivisivel dos seus funcionários, um empregado estatal não pode ser pago por outra gente e organizações em relação a uma matéria se a cidade ou a cidade tiverem um interesse na matéria. Além do mais, um empregado estatal pode não atuar em nome de outra gente e organizações ou atuar como um representante de outra gente e organizações nas quais o estado tem um interesse. Agir como um agente inclui contatar com o responsável estatal , por telefone, ou por escrito; atuação como uma ligação; fornecimento de documentos à cidade ou estado; e servir de orador.

 

Um empregado estatal sempre pode representar os seus próprios interesses pessoais, até perante da sua própria agência estatal ou conselho, nos mesmos termos e condições que se aplicariam a outros membros situados de mesmo modo do público.

 

A seção 4 aplica-se diferentemente a Senadores estatais e Representantes estatais do que ele faz a outros empregados estatais, porque eles devem atuar freqüentemente em nome do seu contituents. A seção 4 permite que Senadores estatais e representantes estatais executem serviços constituentes mas proíbe-lhes aparecer pessoalmente aparecem antes de agências estatais da compensação othe do que salários legislativos theis exceto na matéria ministerial como declaração de impostos, licença e aplicações de licença, e incorporação empapela e em procedimento de tribunal estatal e procedimento de agência quase-judicial de impostos declarados.

 

Exemplo de violação Um empregado estatal pede informações a outra agência estatal sobre uma investigação que a segunda agência estatal está conduzindo de sua esposa.

 

Exemplo de violação:  Um membro de comissão consultivo estatal participa em matérias na sua agência que afetam um dos seus clientes privados, e é compensado pelo cliente do seu trabalho da sua parte.

 

O exemplo onde não há nenhuma violação:  Um Senador estatal é contatado por um comitente que solicitou benefícios a uma agência estatal, não recebeu uma determinação oportuna pela agência, e não pode adquirir-se as suas chamadas à agência devolvida.  O Senador pode chamar a agência pelo nome do comitente para perguntar sobre a matéria.  O assessor do Senador também pode chamar a agência pelo nome do comitente para perguntar sobre a matéria sem violar a Seção 4.

 

Enquanto muitos empregados estatais ganham o seu sustento em empregos estatais, algum voluntário de empregados estatal o seu tempo ao estado ou recebem pequenos estipêndios.  Os outros podem servir em uma posição estatal de meio período que lhes permite ter outro emprego pessoal ou privado durante as horas de trabalho normais.  Em reconhecimento da necessidade de não restringir indevidamente a capacidade de voluntários e empregados de meio período para ganhar uma vida, a lei é menos restritiva para esses empregados estatais "especiais" do que para outros empregados estatais. 

 

Se uma posição estatal for designada uma posição "especial", um empregado que considera que a posição pode ser paga por outros, ato em nome de outros, e ato como representante de outros com respeito a matérias antes de agências estatais outras do que o seu próprio, contanto que ele não tenha participado oficialmente na matéria, e a matéria não é agora, e não tem dentro do ano passado sido, embaixo da sua responsabilidade oficial, e não é pendente perante a sua própria agência estatal. 

 

Exemplo:  Um investigador que trabalha  a meio período numa agência estatal pode trabalhar no seu próprio tempo privadamente de um partido que pleiteia um caso com uma agência estatal diferente, contanto que ela não tenha participado em ou tivesse a responsabilidade pela matéria pleiteada na sua posição estatal.


(c)  Pista interna.  Ser pago pela o Estado, diretamente ou indiretamente, embaixo de algum segundo acordo além do seu trabalho é proibido, a menos que uma isenção se aplique. (Consulte a secção 7)

 

Um funcionário estatal geralmente não deverá ter interesse financeiro num contrato com o estado, incluindo um   segundo trabalho estatal . Um funcionário estatal geralmente é proibido  ter um interesse financeiro indireto num contrato que o estado tenha com outra pessoa.  Esta disposição se destina a impedir que os funcionários municipais tenham uma “pista interior” para obter mais oportunidades financeiras.

 
Exemplo de violação:  Um empregado estatal pago aceita o emprego pago com uma segunda agência estatal.


Exemplo de violação:  Um empregado estatal pago compra um computador excedente da sua agência.

 

Exemplo de violação:  Um empregado estatal quer trabalhar para um sem lucro que recebe a consolidação embaixo de um contrato com o estado.  A menos que ela possa satisfazer as exigências de uma isenção embaixo da Seção 7, ela não pode aceitar o emprego.

 

Há isenções numerosas. Algumas isenções aplicam-se só a empregados estatais especiais. As isenções específicas podem cobrir Senadores estatais e Representantes estatais, ensinando e atividades relacionadas em facilidades estatais, servindo de um voluntário não compensado em uma segunda posição estatal, fornecendo serviços para afirmar clientes de agência, e outras situações específicas. Por favor chame a Divisão Legal da Comissão de Ética do conselho sobre uma situação específica.

 

V.  Depois de deixar o emprego estatal (Consulte a secção 5)


(a)  Banir para sempre.  Depois de deixar o emprego estatal, você não poderá trabalhar para ninguém sem ser do estado, em assuntos que já tinha trabalhado quando era funcionário estatal.

 

Se você participou num assunto quando era funcionário estatal, nunca mais será pago para trabalhor com alguém no mesmo assunto sem ser com o estado, nem deveraá representar a ninguém, quer recebendo pagamento ou não.  O objetivo desta restrição é para proibir os antigos empregados de vender interesses privados, sendo que sua familiaridade com os fatos particulares dos assuntos, que continuam a ser tratados com os antigos funcionários estatais.  A restrição não proibe os antigos funcionários estaais  de usarem perícia que obtiveram nos serviços governamentais em suas atividades privadas subsequentes.

 
Exemplo de violação:  Um antigo funcionário do departamento escolar trabalha para um contratante debaixo dum acordo que ele ajudou com o esboço e vigia do departmento estatal.
 


(b)  Um período de resfriar dum ano .  Durante um ano depois de deixar de trabalhar para o Estado, você não deverá participar em qualquer assunto no qual você teve resposabilidade oficial durante os últimos dois anos de serviço público.

 

Os antigos funcionários estatais, depois que eles deixam o trabalho estatal, estão impedidos de pesoalmente aparecerem perante qualquer agência estatal com ligação a assuntos que estiveram sujeitos a sua autoridade no anterior trabalho municipal  durnate dois anos antes de partirem.

 

Examplo:  Um assistente supervisor duma vila  negocia um contrato de tres anos com uma companhia.  O supervisor que que vigiou a companhia que assistia, e tinha  responsibilidade oficial de um contrato que não participou na negociação, deixa o seu trabalho para ir trabalhar para uma companhia que concebeu o contrato.  O antigo supervisor não pode chamar ou escreves para o estado da parte da companhia sobre o contrato de trabalho durante um ano depois de ter saido desse estado.

 

Um ex-funcionário do edtado que participou como tal na legislação geral sobre expanção de jogos e em assuntos relacionados, não pode tornar-se funcionário ou empregado, ou adquirir uma participação financeira em, ou ser requerente de uma licença de jogo, ou um licenciado de jogos, durante um ano após o seu emprogo público terminar.


(c)  Parceiros.  Os seus parceiros estarão sujeitos a restrições durante o período do seu serviço municipal e depois do seu emprego estatal terminar.


Os parceiros estatais e de antiogos funcionários do estado também estão sujeitos a restrições sob o conflito de lei de interesse. Se um funcionário estatal participou num caso, ou se teve resposabilidade oficial sobre esse caso, sendo assim, o parceiro dele não poderá representar ninguém a não ser que o estdoo forneça serviços de jurídicos a alguém menus para o estado relaciaonado com o caso.

 

Exemplo:  Um arquiteto serve no Conselho de Acesso Arquitetônico estatal, e é responsável por cada matéria que vem antes do Conselho. Enquanto ele serve, os seus parceiros podem não submeter planos arquitetônicos de nenhum cliente buscando uma variação do Conselho.

 

Exemplo:  Um antigo general de agência estatal conselho junta uma firma legal como um parceiro. Os seus novos parceiros não podem representar nenhum cliente privado com relação a matérias que ela pleiteou para o estado durante um ano depois do seu emprego com o estado terminado.

 

Exemplo:  Um engenheiro profissional outrora empregado por uma agência estatal junta uma firma de engenharia organizada como uma sociedade. Os seus novos parceiros não podem parecer antes da sua antiga agência com relação a matérias que ele trabalhou em para o estado durante um ano depois do seu emprego com o estado terminado.

 

(d)  Agentes legislativos e executivos. Durante um ano depois que você deixa o seu emprego estatal você não pode atuar como um agente legislativo ou executivo antes da sua antiga agência.

Exemplo de violação:  O chefe do pessoal de um Senador estatal deixa a sua posição.  Três meses depois, ele contata com o sesucessor para fazer vestí bulo em nome de um cliente.

 

*  *  *  *  *

 

Este sumário não é destinado para ser o conselho legal e, porque ele é um sumário, ele não menciona cada provisão da lei de conflito que pode aplicar-se em uma determinada situação. Você pode encontrar a nova informação de como a lei se aplica em muitas situações em outro lugar neste site web. Você também pode contatar com a Divisão Legal da Comissão via este website por telefone, ou pela carta.

 

Versão 6:  Revisão feita em 23 de Desembro de 2011

 

*  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *  *


 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

CONFIRMAÇÃO DA ORDEM DE RECIBO

 

Eu, __________________________, (nome e sobrenome)

 

 empregado em ______________________________________________________,
                                      
 (nome da  agência estatal)

 

com isto reconheço que recebi uma cópia do resumo do conflito de interesse das leis para os funcionários do estado. A revisão foi feita em 23 de Desembro, de 2011  em ____________.
   
(data)